O Instituto Elisabetha Randon

Bem-vindo ao Instituto Elisabetha Randon! Somos uma Organização da Sociedade Civil com Interesse Público (OSCIP) que tem por objetivo promover a cidadania e o desenvolvimento social, por meio de ações direcionadas à educação, à cultura, à assistência social e ao estímulo à prática do voluntariado.

Além dos programas que mantemos regularmente, com foco na educação para segurança no trânsito e em crianças e adolescentes, atendidos na modalidade de Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), também colaboramos com ações pontuais nos momentos em que a comunidade mais necessita, buscando sempre ajudar quem está próximo.

O Instituto Elisabetha Randon é mantido pelas Empresas Randon e coordena todos os programas sociais da companhia.

Quem foi Elisabetha Randon

Elisabetha Randon nasceu no dia 03 de outubro de 1903, em Conceição da Linha Feijó, um pequeno povoado que hoje ocupa as imediações do bairro Desvio Rizzo, em Caxias do Sul. Filha de Elizabetha, de quem herdou o nome, e Artidoro Zanotto, foi criada pelo pai após a precoce morte de sua mãe, quando a menina tinha apenas seis anos de idade.

A pequena Elisa, como era carinhosamente chamada pela família, passou a auxiliar o pai nas tarefas da casa, realizando a ordenha das vacas e comercializando o leite, diariamente, em Caxias, num caminho percorrido a cavalo. Quando havia sobre de produto, ela o vendia, a um custo menor, para as pessoas mais carentes.

Em sua juventude, ela conheceu e casou-se com Abramo Randon, um amigo de seu irmão Francisco, na data de 9 de fevereiro de 1924, com quem mais tarde teve cinco filhos: Hercílio, Isolda, Raul, Zilá e Beatriz.

Enquanto Abramo produzia ferramentas agrícolas na oficina situada a cerca de 1.5km da residência do casal em Tangará, atual cidade de Rio Bonito/SC, e consertava engenhos nos arredores, Elisa dividia seu tempo entre afazeres da casa, os cuidados de uma plantação de trigo e milho, em terra cedida por um amigo, e o auxílio ao marido nas atividades da ferraria, forjando o ferro. Anos mais tarde, já de volta a Caxias, ela continuou ajudando seu marido cuidando da contabilidade e da cobrança na ferraria de Abramo.

Uma mulher decidida, forte e capaz de tomar decisões sábias e rápidas, Elisabetha Randon devotou sua vida a sua família e a comunidade italiana caxiense. Ela faleceu aos 97 anos, em 09 de novembro de 2000.

Baixe os nossos Relatórios de Atividades e Uso de Recursos Públicos